domingo, 16 de janeiro de 2011

CONFRATERNIZAÇÃO EM SÃO PAULO

Homenagem da AJD ao intelectual Antonio Candido
contou com a participação de juízes baianos

Aconteceu em São Paulo este mês o II Encontro da Associação Juízes para a Democracia. O núcleo baiano da entidade foi representado no evento pelos juízes Maurício Brasil, de Salvador, e Reno Viana, de Vitória da Conquista. 

A programação contou com a presença do jurista Fábio Konder Comparato e teve como ponto alto a homenagem prestada pela AJD ao escritor Antonio Candido de Melo e Souza, considerado por muitos como o maior intelectual vivo do Brasil.

Professor emérito da USP, Antonio Candido lecionou também na Universidade de Paris e na Universidade de Yale. Autor de obras fundamentais da cultura nacional, como o célebre livro Formação da Literatura Brasileira: Momentos Decisivos, ele sempre teve participação ativa na vida social e política do país.
 
Para Luís Fernando Vidal, presidente do Conselho Executivo da Associação Juízes para a Democracia, Antonio Candido sempre lutou pela democracia e pelos direitos humanos, razão pela qual em reconhecimento a esse fato a entidade entrega a ele uma pintura inédita que representa a luta de Dom Quixote contra os moinhos da opressão.
 
Falando ao núcleo baiano da AJD na ocasião, Antonio Candido declarou que sempre teve grandes amigos da Bahia. Ele, inclusive, foi membro de uma organização política da qual também faziam parte os conhecidos juristas baianos 
Hermes Lima e João Mangabeira .

Outro momento de destaque do evento foi a participação do jurista Fábio Konder Comparato, que falou sobre o Poder Judiciário no quadro da organização política brasileira. Para ele, as associações de magistrados em geral, com a honrosa exceção da AJD, tem trabalhado predominantemente na defesa dos interesses próprios da categoria, e não da melhor organização da Justiça para a realização do bem comum do povo.

Durante o encontro, os juízes debateram temas diversos ligados à atuação da entidade, em especial aqueles referentes a democracia e ao papel do Poder Judiciário, bem como ao significado dos vinte anos de fundação da AJD. No evento foi divulgada Nota Pública sobre os recentes acontecimentos no Rio de Janeiro (À margem da lei todos são marginais) e foi reivindicado estímulo à participação popular no processo de escolha dos integrantes do STF (O déficit democrático no processo de escolha dos ministros do STF).

Ao final do encontro foi realizado um jantar de confraternização.


 
Juízes de vários Estados participaram do evento
                                 

Fábio Konder Comparato

                                                
João Batista Damasceno, Antonio Candido e Reno Viana. 
Ao fundo, Ranulfo de Melo Freire
                   
Fonte: AJD - BAHIA
Fotos: Dora Martins
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário